O PASTOR QUE JUNTA

OVELHAS COM LOBOS

 

Jorge Zamora Erdmann

    

     A análise serena e atenta dos acontecimentos chilenos provoca, às vezes, a impressão de “déjà vu”. Quem se recorda das inúmeras tentativas de reconciliação na classe política, promovidas desde os tempos do cardeal pró-comunista Silva Henríquez, tem a impressão de que uma vez mais o pastor reúne ovelhas e lobos, e lhes diz para doravante viverem em paz. Um milagre talvez viável para os tempos de São Francisco de Assis. Uma permanente utopia para a realidade nacional: um comunismo não comunista, um socialismo não socialista.

Lobos e ovelhas

     Em 25 de julho p. p., Sua Eminência o Cardeal Francisco Javier Errázuriz, conseguiu reunir, no Arcebispado de Santiago, os presidentes — por exceção houve “uma representante” — dos partidos políticos chilenos.

     Observe o leitor, se desconhece nosso modo de ser, que o amplo espectro de partidos e seus representantes, compreende um leque que vai, desde a filha de um ex-governante marxista (o suicida Salvador Allende), passando por um comunista radical como o Sr. Teillier, até os “representantes” do conservadorismo nacional, fundado por Jaime Guzmán Errázuriz. Este último, foi assassinado por terroristas que hoje se encontram livres sob a tolerância (ou a conivência) dos governos da esquerda chilena.

    Vejamos como El Mercurio noticiou o fato que se realizaria. “Da cerimônia, presidida pelo Cardeal Errázuriz, participarão todos os presidentes partidários.”[1]

     — Fantástico! — exclamei emocionado — o Cardeal reuniu todos os presidentes dos partidos políticos para fazer apostolado com eles! Já era hora!Mas é melhor prosseguir com a notícia: “Ao meio-dia de hoje, os presidentes dos partidos políticos efetivarão o compromisso assumido em 8 de maio p. p. com o Cardeal, quando todos firmarão um “compromisso de amizade cívica”, face ao Bicentenário.[2] Tudo isto, como um acordo básico prévio, para as próximas eleições municipais.  

     A dedução inevitável

     O que deduzi, após ler esses parágrafos da notícia, foi o seguinte: como se aproximam as eleições municipais, o Cardeal Errázuriz, máxima autoridade religiosa do país, vai se valer de seu cargo e de sua autoridade moral para tentar alcançar vários objetivos pastorais que a seguir vou especificar.

O Pastor que junta ovelhas com lobos comunistas     

     1. Fazer um apelo aos presidentes dos partidos para alinharem-se segundo a doutrina social da Igreja; quer dizer, para fazerem uma profunda e irrevogável recusa da ideologia socialista e marxista, tantas vezes condenadas pelos Pontífices,[3] em todas as suas variantes, inclusive as mais modernas e renovadas.

     2. Conduzir ao arrependimento, por abraçarem uma ideologia anticatólica, os presidentes do Partido Socialista, do Partido Comunista, e do Partido Radical Social Democrata.

    3. Dar-lhes, após fazerem o ato de contrição, a absolvição para os que já são católicos, e o batismo aos que ainda não o são.

     4. Aos presidentes dos partidos de direita, recordar sua missão como uma elite local e animá-los, para que sejam exemplos de virtude para seus colaboradores e seguidores. Nesse sentido, insistir no papel da Santíssima Virgem do Carmo, rainha e padroeira da nação, seria fundamental e decisivo. Serviria também como um ato de reparação frente ao brutal sacrilégio que sofreu sua sagrada imagem há pouco tempo. Em seguida ditaria uma oração, para pedirem a Ela que os ajude a cumprir essa sublime missão.

     5. Ah! E o que não poderia faltar: o sempre misterioso e multiforme Partido Democrata Cristão. Levar o seu presidente, que tantas vezes foi “companheiro de viagem” do comunismo, a prometer nunca mais colaborar com forças políticas e movimentos que prejudiquem a Santa Igreja e o seu rebanho.

     Conclusões tiradas. Análise concluída. Alívio. Um alento para a alma, nesse século cheio de convulsões, imoralidade e relativismo. Alívio providencial, principalmente se considerarmos o caos criteriológico no mundo católico.

     O apostolado da "amizade cívica"

     Mas essas conclusões foram apressadas, otimistas e ingênuas. O que o Cardeal Errázuriz fez, foi convocar todos os partidos para um “compromisso de amizade cívica” (eu me perguntei: o que será a amizade cívica?).      


O dirigente do P. Comunista, Teillier

      Firmaram uma carta com declarações de amizade cívica, buscando superar as discrepâncias do passado.

     Em seguida, fizeram uma declaração — por causa de sua extensão não a publicamos — na qual cada um se comprometeu a colaborar para o bom convívio.

     Imaginei, por alguns instantes, o que faria Santo Inácio de Loyola, que teve a missão providencial de erradicar o protestantismo do rebanho católico.

     Carta de Santo Inácio a Lutero: “Sr. Lutero, quero reunir-me com você, e com os demais hereges, para semearmos uma nova amizade cívica”. Seria impensável!

     Depois me veio à mente São Miguel Arcanjo, em plena batalha pela glória de Deus, durante a primeira rebelião, dizendo a Satanás, o maldito demônio: “Senhor Demônio, quero que firmemos no céu um compromisso de mútua amizade cívica”. Isto tampouco faria sentido!

     Então, como entender a iniciativa do Cardeal Errázuriz?

O lobo disfarçado de ovelha

     A nova iniciativa do Cardeal, somente é compreensível, digo-o com dor, se considerarmos que o prelado renunciou, tácita e efetivamente, à sua missão evangelizadora e pastoral, que lhe foi dada por Nosso Senhor Jesus Cristo. Abandonada a vocação, pode-se compreender que uma autoridade eclesiástica, essencialmente pastoral, tenha usado uma linguagem laica e amoral. Poderíamos assim, considerar respondida uma primeira questão: qual a razão da ausência de zelo apostólico em relação aos que, como os socialistas, vivem no erro.

     Para que as ovelhas coabitem com os lobos ferozes, é necessário desarmá-los

     Porém fica uma segunda questão. Para que as ovelhas coabitem com os lobos ferozes, é necessário previamente tirar os dentes e as garras das feras. Por que então o Cardeal não denuncia todo o mal contido nas ideologias representadas pelo P. C., P. S., P. R. S. D. e pela sempre esquerdista D. C.?

     “Simile gaudet simili” [4], quer dizer, o semelhante atrai o semelhante. Tire o leitor as suas conclusões.      


Nossa Senhora do Carmo de Maipú

 

     Roguemos fervorosamente a Nossa Senhora do Carmo para que ilumine o nosso Cardeal, de modo que seu apostolado seja verdadeiramente católico e realize a conversão dos presidentes (e também das bases) do P. C., P. S., P. R. S. D., e da D. C. que com eles sempre colabora fielmente.

     Enquanto isso não ocorrer, mantenhamos, como católicos, uma atitude de vigilância e resistência. Quer dizer, uma posição de total desacordo com a política de distensão que a hierarquia eclesiástica chilena se empenha em promover em relação ao marxismo e ao socialismo, em qualquer de suas formas.

     Senhor Cardeal, só nos resta, respeitosamente, resistir!

     _________

 

    [1] El Mercurio, 25 de julho de 2008.

    [2] Idem.

    [3] Ver encíclicas dos papas Pio IX, Leão XIII, São Pio X, Pio XI e Pio XII.

    [4] Erasmo, Adágia 1.2.21.

 

     _________

     * Jorge Zamora Erdmann é editor do site El Cruzado.

     Fonte: El Pastor reúne a las ovejas y a los lobos

     Tradução para o português: André F. Falleiro Garcia

 

     _________