GRANDE ALEGRIA POPULAR NA ENTREGA DO PRÊMIO VON GALEN A D. JOSÉ CARDOSO SOBRINHO

 

André F. Falleiro Garcia

    

 

 

Mons. Ignácio Barreiro, Raymond de Souza e D. José

     Dias atrás, exatamente em 16/04/2009, houve a entrega do Prêmio Cardeal Von Galen a D. José Cardoso Sobrinho no auditório superlotado do Colégio Damas, situado no bairro das Graças, no Recife [1]. O prêmio foi concedido pela organização Human Life International, que atua em 86 países. Mas ainda se percebe o forte impacto que o evento provocou nos participantes.

     Com efeito, hoje recebi telefonema de Raymond de Souza, diretor de programações para os países de língua portuguesa da Human Life International. Acostumado a falar para grandes auditórios, em todos os continentes, Raymond ainda estava impressionado com a vibração calorosa do público pernambucano que foi assistir à homenagem prestada a Dom José Cardoso Sobrinho. Pois notou uma imensa e contagiante alegria no povo que compareceu à solenidade. Grande também foi o contentamento do homenageado.

     Se na sociedade temporal brasileira tivemos recentemente o caso do membro do Ministério Público do Rio Grande do Sul, Gilberto Thums, que anunciou que recuava na luta contra o MST por se sentir sozinho, o mesmo não se deu na esfera religiosa. Ferrenho defensor dos princípios católicos, D. José não recuou sequer um palmo de terreno em seu campo de luta, apesar da CNBB e de prelados progressistas criticarem sua atitude. Não lhe faltaram apoios preciosos de eclesiásticos e leigos. Para a esquerda católica da arquidiocese que outrora foi governada pelo conhecido "arcebispo vermelho", D. Hélder Câmara, não só a grande presença popular no evento causou constrangimento, sobretudo foi-lhe doloroso o entusiasmo dos católicos de base que transformaram o evento numa grande manifestação de Fé militante.

     Raymond de Souza disse-me que a mídia calculou a presença de 1.200 presentes no auditório, mas, na sua opinião, havia ali mais de 2.000. Quatro bispos, sacerdotes, numerosos seminaristas e freiras prestigiaram o evento, além de integrantes das paróquias do Recife e de outras cidades. Permanecerá mais uma semana no Brasil. Na sua agenda, resta ainda o contato com a mídia televisiva católica e conferências em algumas cidades, como Jacareí e Taubaté em São Paulo.

Dom José Cardoso Sobrinho

Prêmio Cardeal Von Galen

16 de abril de 2009

     No evento diversos oradores fizeram uso da palavra. O principal homenageado, D. José, confessou que o prêmio foi uma grande e boa surpresa para ele. E afirmou que a polêmica na qual se envolveu "está produzindo bons frutos, pois despertou a consciência dos católicos sobre a necessidade de colocar a lei de Deus acima de qualquer lei humana. Divulguei simplesmente o que diz a lei da Igreja. Não fui eu que a promulguei. É a lei da Igreja que diz: quem comete este delito, está automaticamente excomungado". Ele apenas seguiu os princípios da Igreja e do Direito Canônico. Se tivesse ficado em silêncio diante do episódio, estaria sendo cúmplice, "quase conivente". "Cumpri meu dever", concluiu.

     O Arcebispo agradeceu a todos que colaboraram direta e indiretamente na luta pela vida das três crianças e também pelas mensagens de apoio vindas de vários lugares do Brasil e também de outros países. “Ofereço essa homenagem, especialmente, às duas criancinhas mártires e também a sua mãe”, acrescentou o Arcebispo.

     Também foram homenageados e receberam uma medalha de prata o Vigário Geral da Arquidiocese de Olinda e Recife, Monsenhor Edvaldo Bezerra, o chanceler padre Cícero Ferreira, o reitor do Seminário Menor, padre Moisés Ferreira, o padre da cidade de Alagoinha, José Edson e o advogado da Arquidiocese, Márcio Miranda.

     O representante da Human Life International em Roma, Mons. Ignacio Barreiro-Carambula, disse em seu discurso: "Penso que é muito importante ressaltar a proteção da vida. Por isso estamos concedendo a D. José este prêmio. Esta é a razão."

     Raymond de Souza destacou a coragem do Arcebispo e criticou a ação da mídia abortista: “Dom José enfrentou a tudo e a todos para ensinar a doutrina Católica. Ousou enfrentar a mídia do mundo todo, não teve medo da impopularidade. Não se abateu com os ataques da mídia, pois não estava fazendo uma coisa má, estava fazendo uma coisa boa”. Segundo um dos participantes, Raymond impressionou tanto a razão quanto a sensibilidade, pois com argumentos inteligentes defendeu a sacralidade da vida e também emocionou a platéia com a história da sua vida.

     Ilustra muito bem o grande contentamento que Raymond de Souza notou no auditório o seguinte relato de um dos presentes:

     Quando Dom José foi convidado a receber o prêmio Cardeal Von Galen, todos que estavam no auditório vibraram.

     Muitos se emocionaram, outros gritavam de felicidade, outros tantos cantavam, e eu estava ali aos pés de Dom José, tirando algumas fotos no meu celular, vendo seu rosto transbordar de alegria, fazendo assim a minha alegria.

     Depois do prêmio, todos queriam saudar, abraçar Dom José, e lhe dizer: “Saiba que não estás sozinho!”. Sim, senhor Arcebispo, o senhor não está sozinho, pois Cristo está convosco e nós também. Deus permita que o Senhor continue à frente de nossa sofrida mas bem cuidada Arquidiocese por um longo tempo. E quando, no tempo por Deus determinado, o senhor tiver seu merecido descanso, que Ele nos conceda um pastor a vossa altura.

     Fui para casa com a alma lavada, ao ar de uma típica noite recifense de céu limpo e tempo quente, e com a certeza de caminhar no lado certo da estrada, a certeza de ser CATÓLICO acima de qualquer coisa.

     Obrigado Dom José, por seu testemunho! Sinto-me honrado em fazer parte de Vossa Arquidiocese. [2]

 

     _________

     NOTAS:

 

    [1] O Site da Sacralidade publicou várias matérias a respeito:

 

     _________