Jogos Olímpicos 2008

 

ANJOS SORRIDENTES MASCARAM

O PRANTO DE UMA NAÇÃO

 

André F. Falleiro Garcia



Lin Miaoke

     É próprio à alma humana manifestar de diversas maneiras seu modo peculiar de ser e de sentir. As manifestações literárias ou arquitetônicas, os gestos, as cores e os sons, têm a propriedade de criar um ambiente físico ou psicológico, que poderá identificar uma pessoa, uma coletividade ou mesmo uma nação.

     Quando se trata de mostrar aquilo que representa uma nação, procura-se sempre apresentar o que é mais autêntico, de modo refletir a alma nacional no modelo revelado.

     No cenário do Estádio Nacional da Pequim comunista houve, na abertura dos Jogos Olímpicos de 2008, a apresentação de uma menina de 9 anos, que cantou com doce voz a “Ode à Pátria”. Um bilhão de espectadores em todo o mundo ficou fascinado com Lin Miaoke, logo chamada de “O Anjo Sorridente”.

     A nação chinesa viu-se a si própria bem representada naquela menina? A pequena apresentou através de seu canto o melhor de sua alma?


Yang e Lin

     Numa nação comunista, fria e sem alma, tudo é decidido pelo Partido. Um alto dirigente do Partido Comunista Chinês assistiu a um dos ensaios e não gostou dos dentes imperfeitos de Yang Peiyi, uma cantora de sete anos.

     Então ordenou que o diretor musical do espetáculo, Chen Qigang, resolvesse o assunto. Por uma questão de “supremo interesse do país”, Lin Miaoke, considerada mais bonita e perfeita, apresentou-se no Estádio gesticulando como se cantasse, enquanto a voz de Yang Peiyi era retransmitida. A fraude só foi revelada dias depois da apresentação no estádio.

     Para o Partido Comunista Chinês, tornou-se conveniente que a face sinistra da República da China, nação escravizada pelo comunismo desde 1948, fosse substituída por outra glamourosa. A propaganda através dos Jogos Olímpicos favorecia altamente os interesses do Partido. Dessa forma, os interesses e direitos da pessoa humana Yang Peiyi foram simplesmente desconsiderados.

     Pobres crianças! Triste nação! Tirania, fraude, negação da personalidade humana: tal é o ambiente comunista chinês, onde a pessoa é nada e o Partido é tudo.

     O verdadeiro retrato do ambiente chinês e da alma de seu povo não é o de Lin Miaoke, o “Anjo Sorridente”, que é inautêntico. Yang e Lin são meros fantoches nas mãos do Partido. Na China Comunista, os anjos não sorriem, eles choram.

     _________

     English version:

     The Smiling Angel Hides the Tears of a Nation

 

 

     _________

 

 

     AVISOS DO EDITOR

     1. Católico apostólico romano, o Editor deste site se submete ao magistério tradicional da Santa Igreja. Se, por lapso, em algo não estiver em conformidade com esse ensinamento, desde já se prontifica a retificar o que escreveu.

     2. O Site da Sacralidade visa difundir o pensamento conservador em matéria político-social, cultural e religiosa e estimular o debate em torno dessas idéias. Não publica textos que contenham qualquer tipo de referência racista, pornográfica, discriminatória ou agressão pessoal. A publicação de artigos assinados, que não os do Editor, não significa, necessariamente, adesão a todo o ideário desses autores, que respondem pelo que escrevem e de forma alguma são remunerados por Sacralidade.

     3. Aos detentores de direitos sobre fotos aqui publicadas sem mencionar os devidos créditos, agradeçemos se enviarem para sacralidade@uol.com.br a comprovação de seu direito.