INGERÊNCIA DA UNASUL NA BOLÍVIA

Pedido ao Senado do Chile para que refreie a ingerência da UNASUL na Bolívia

 

Alejandro Peña Esclusa

    

     Honrado Senador

     Dr. Hernán Larraín

     Santiago do Chile.

 

     Caracas, 17 de outubro - Tenho a honra de dirigir-me a V. Excia. - e por este meio aos honrados membros do Senado da República do Chile - a fim de expor-lhe o seguinte:

Alejandro Peña Esclusa

     Em 17 de setembro de 2008, realizou-se em Santiago do Chile uma Cúpula da União de Nações Sul-Americanas (UNASUL), para mediar a crise política que neste momento se desenvolve na Bolívia.

     Os integrantes da UNASUL não mantiveram uma atitude neutra e objetiva, como corresponde a todo mediador, mas intervieram flagrantemente nos assuntos internos da Bolívia, apoiando incondicionalmente o governo de Evo Morales e menosprezando as gravíssimas denúncias da oposição. O comportamento parcial e intervencionista da UNASUL permanece até agora, não obstante as violações à democracia e aos direitos humanos - por parte do governo - que se registram na nação boliviana.

     Não satisfeitos com isso, os integrantes da UNASUL promoverão hoje uma reunião em Cochabamba, na qual não só pretendem apoiar as aspirações totalitárias de Evo Morales, como também criar uma nova instituição parlamentar regional - sem preencher os requisitos mínimos constitucionais - para posteriormente lhe outorgar um poder supranacional, acima dos parlamentos da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai.

     Tenho elementos de sobra para denunciar que - na execução desse plano - os Chefes de Estado integrantes da UNASUL não representam os interesses de suas respectivas nações, mas que atuam como membros de uma mesma corrente política internacional, entranhada no Foro de São Paulo.

     O Foro de São Paulo é uma organização criada em 1990, por iniciativa do Partido Comunista de Cuba e do Partido dos Trabalhadores (PT) do Brasil, com o objetivo de reagrupar os movimentos de esquerda latino-americanos, que ficaram órfãos logo após a queda do Muro de Berlim.

     Entre os membros fundadores do Foro de São Paulo se encontram o Partido Socialista do Chile e o Movimento para o Socialismo (MAS) da Bolívia, assim como as FARCs e o ELN colombianos. Hugo Chávez se inscreveu em maio de 1995, logo após sair do cárcere, onde esteve preso por tentar dois golpes de Estado.

     A ingerência indevida da UNASUL - e de Michelle Bachelet, como presidente provisória dessa organização - não ajuda a resolver a crise boliviana, senão que contribui para instalar uma ditadura nessa nação e para que, em conseqüência, se desencadeie uma guerra civil.

     Ofereço-me para viajar a Santiago do Chile e ser sabatinado pelo Senado, a fim de contribuir com elementos para uma investigação parlamentar sobre este delicado assunto que, sem dúvida, afeta a estabilidade e a paz de toda a região.

    

      Atenciosamente,

     Alejandro Peña Esclusa
     Presidente de Fuerza Solidaria
     info@fuerzasolidaria.org

     _________

     Tradução: André F. Falleiro Garcia

    

 

 _________