AOS BOLIVIANOS: ÂNIMO! ESPERANÇA!

Alejandro Peña Esclusa *

 

     Estimados bolivianos:

"Hoje é a refundação da Bolívia", comemorou Evo após o referendo

     Talvez se sintam tristes e desanimados pela aprovação de uma Constituição ilegal, que outorga a Evo Morales poderes totalitários e lhe dá autoridade para controlar os poderes públicos, destruir a democracia e perpetuar-se na Presidência.

     Sem embargo, os integrantes da União de Organizações Democráticas da América (UnoAmérica) lhes dizemos: Não temam! Não percam a esperança! A suposta vitória que obteve Evo Morales em 25 de janeiro em breve se converterá em derrota!

     Os fatos são os seguintes:

     1. A Constituição foi aprovada mediante fraude eleitoral articulada por agentes cubanos e venezuelanos. Ademais, o referendo foi precedido de oportunismo político, chantagem, violência, perseguição a dirigentes opositores e terrorismo de estado; portanto, os resultados não foram válidos.

     2. Cinco estados (departamentos) recusaram claramente a Constituição, o que converte a nova Carta Magna em uma afronta contra a metade dos bolivianos e não – como deveria ser – um projeto de unidade nacional. Como conseqüência, esse arremedo de Constituição tem os seus dias contados.

     3. Dentro de poucas semanas ou meses o tsunami financeiro que afeta a economia mundial golpeará duramente o orçamento boliviano. Dado que Evo Morales, Álvaro García Linera e Juan Ramón Quintana somente conhecem a destruição e a morte, não saberão o que fazer para reaquecer a economia e formar um consenso nacional para enfrentar a crise.

     4. Apesar de Evo Morales estar eufórico e ébrio de poder, sua fisionomia logo começará a mudar, para refletir expressões de medo, diante da impossibilidade de satisfazer as necessidades de um povo que cobrará dele resultados concretos.

     5. Como o preço do petróleo caiu muito, Morales não poderá recorrer ao seu mentor, Hugo Chávez, para que o salve da bancarrota política e financeira.

     6. O referendo fraudulento de 25 de janeiro encerra todas as possibilidades de uma saída eleitoral ou negociada da crise. Portanto, para todos os setores da oposição ficou claro que urge organizar a desobediência civil pacífica, simultânea e generalizada, como única maneira de restabelecer o estado de direito.

     Conclusão: o triunfo obtido por Evo Morales é só aparente e momentâneo. O regime vai tentar desmoralizá-los e encurralá-los, mas não dêem importância a isso. Resistam e continuem na luta!

 

     _________

 

     * Presidente da União das Organizações Democráticas da América (UnoAmérica) – http://www.unoamerica.org/

 

     Tradução: André F. Falleiro Garcia

     _________

 

 

 

_________